fechar

MSN Repórter

O Vooz quer escrever notícias para você e por isso abriu o canal Repórter Vooz onde você entra em contato diretamente com nossa equipe por MSN e participa do Vooz.

  • Sugira assuntos e enquetes;
  • Envie matérias;
  • Complemente com informações, fotos ou vídeos;
  • Tire dúvidas;
  • Tenha seu nome na equipe do Vooz e ganhe visibilidade no mercado;

msn@vooz.com.br


Senador critica deputados por atitude na votação do Código Florestal

Publicado em 27/04/2012 às 16h35
O senador Luiz Henrique (PMDB-SC) criticou nesta sexta-feira (27) a quebra de acordo pelos deputados na votação do novo Código Florestal.

Ao se dizer frustrado e decepcionado com o resultado da votação na Câmara, o senador frisou que o texto enviado àquela Casa em dezembro foi resultado de amplo entendimento com lideranças dos deputados, em especial com os da Frente Parlamentar da Agricultura.

"A palavra empenhada deve ter a força de uma bíblia, o peso de uma verdade histórica. Com a palavra empenhada, é nosso dever tornar irrevogável o cumprimento de acordos", disse ele, após reafirmar que o texto aprovado pelos senadores foi feito "por mãos do Senado e por mãos da Câmara".

Luiz Henrique se disse ainda mais frustrado pelo fato de terem sido os deputados do PMDB os responsáveis por derrubar o texto do Senado, na votação da última quinta-feira.

O senador trabalhou ao lado de Jorge Viana (PT-AC) na relatoria da matéria no Senado, buscando "a construção de um novo código florestal que fosse durável, que atendesse aos reclamos da sociedade, capaz de interpretar a vontade nacional".

"Não houve um artigo, um parágrafo, uma alínea, uma frase, uma palavra que não tivesse sido discutida com aquelas ilustres lideranças da Câmara", disse.

PROPOSTA

O parlamentar pediu aos colegas senadores apoio ao projeto que recompõe partes que a Câmara retirou da proposta de novo Código Florestal enviada pelo Senado.

"Faço um apelo para que o Senado vote esse projeto em regime de urgência urgentíssima, para que vá à Câmara e lá seja deliberado rapidamente, para que viabilizemos esse texto e o código passe a vigorar dentro dessa grande convergência."

O projeto institui o PRA (Programa de Regularização Ambiental) para atividades consolidadas em APP (Área de Preservação Permanente) e de Reserva Legal.

VOTAÇÃO

Anteontem, por 274 votos a favor, 184 contrários e 2 abstenções, os deputados acolheram o relatório do deputado Paulo Piau (PMDB-MG) com 21 modificações no texto aprovado pelo Senado em dezembro, que era defendido pelo Palácio do Planalto.

Apesar da derrota e com uma manobra regimental, o governo conseguiu devolver ao texto a exigência de recomposição de 15 metros de APPs (Áreas de Preservação Permanente) em beira de rios pequenos. Os ruralistas rejeitavam qualquer obrigação de recuperação dessas áreas.

O relator também suprimiu do projeto partes que obrigam a ocupação urbana em margens de rios a respeitar as regras gerais para APPs. A definição dos casos nas cidades ficará a cargo de planos diretores.

Ontem, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) sinalizou que a presidente vai vetar no Código Florestal a anistia concedida aos desmatadores. Segundo Ideli, Dilma vai avaliar o texto mos próximos 15 dias para dar a palavra final sobre o possível veto.

"Aquilo que representar anistia não terá respaldo do governo. Qualquer questão que signifique anistia tem grandes chances de sofrer o veto", afirmou.

Outro ponto que deve ser vetado, segundo Ideli, são os artigos que prejudicam os pequenos agricultores. "Eles representam a grande maioria dos empregos rurais", afirmou.

A ministra disse que a decisão será "soberana" da presidente Dilma, mas não escondeu a insatisfação com o fato da Câmara ter modificado o texto aprovado pelo Senado.

Fonte: Folha

Edição: Cida Cardoso

Contato: redacao@vooz.com.br

Keywords: Senado, deputados, PMDB, Código Florestal, Novo Código, pelo senado, texto aprovado


O que você achou dessa notícia?

Avalie aqui:

Média de avaliações

0 votos
Deixe seu comentário pelo facebook:
Deixe seu comentário pelo facebook
Deixe seu comentário: Deixe seu comentário

O comentario não pode ser vazio.


O nome não pode ser vazio.


O email não pode ser vazio.

O Estado não pode ser vazio.

A cidade não pode ser vazia.
Envie essa notícia para um amigo:
Envie essa notícia para um amigo


Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas

Informe o seu nome

Informe o seu endereço de e-mail

O comentario não pode ser vazio.
Comunicar erro na notícia:
Comunicar erro na notícia


Informe o seu nome

O email não pode ser vazio.

Descreva o que há de errado com esta notícia