fechar

MSN Repórter

O Vooz quer escrever notícias para você e por isso abriu o canal Repórter Vooz onde você entra em contato diretamente com nossa equipe por MSN e participa do Vooz.

  • Sugira assuntos e enquetes;
  • Envie matérias;
  • Complemente com informações, fotos ou vídeos;
  • Tire dúvidas;
  • Tenha seu nome na equipe do Vooz e ganhe visibilidade no mercado;

msn@vooz.com.br


ENEM com os mesmos envolvidos em escândalos

Atualizada em 04/10/2009 às 10h31

  O Comitê Gestor do ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio irá se reunir amanhã (5), em Brasília, com os 55 reitores das Universidades Federais, para evitar coincidências de datas do ENEM com as provas dos vestibulares dessas instituições. Caso não cheguem a um acordo, o Governo Federal “poderá criar” dois feriados nacionais para a realização dessas provas, mesmo que sejam em dias de semana normais. Estão vendo a possibilidade dessas provas serem realizadas na segunda quinzena de novembro/09. Segundo o INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, presidido por Reynaldo Fernandes, as novas provas já estão prontas, guardadas em um cofre- forte sem nenhum risco de novo vazamento.
Hoje (domingo) haverá reunião com representantes do MEC e do INEP visando uma maior garantia e segurança, principalmente no que diz respeito ao sigilo das provas do ENEM.
Ontem houve reunião com representantes do MEC, do INEP e do CONNASEL – Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção, formado pela FUNRIO (Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência/RJ), Consultec (Consultoria em Projetos Educacionais e Concursos/BA) e pelo Instituto Nacional de Educação Cetro/SP. O consórcio fará nova proposta na segunda-feira, para cuidar da logística da realização das provas.
Duas das empresas desse consórcio, a CONSULTEC e a FUNRIO, já tiverem seus nomes envolvido em outros escândalos. A CONSULTEC, empresa baiana, já teve gabarito vazado no vestibular desse ano da UNEB – Universidade Estadual da Bahia, tendo sido cancelado dois dias antes da realização das provas (Fonte: jornal O Globo).
A FUNRIO, do Rio de Janeiro, foi acusada de irregularidades em um concurso do Ministério Público, onde 450 vagas foram oferecidas. As provas seriam realizadas no Distrito Federal e em 11 Estados da Federação, onde 59.000 candidatos iriam participar. As provas entregues no DF apresentaram sinais de violação, e os fiscais faziam uso do celular. Faltou energia na UNIP – Universidade Paulista, onde vários candidatos já estavam presentes. Quem estava dentro não podia fazer as provas, e quem estava fora não podia entrar. Por esses motivos as provas foram canceladas (Fonte: Clipping-Seleção de Notícias-ASCOM-MG)
Como essas empresa – CONSULTEC e FUNRIO – ainda podem participar de um novo ENEM, depois de mais um escândalo envolvendo seus nomes? A Justiça Federal deveria proibir essas empresas de participarem de novos concursos na área federal. Seus representantes deveriam responder criminalmente. E as pessoas que “ofereceram” por R$ 500.000,00 as provas do ENEM já foram presas? NO “Jornal Nacional/Rede Globo” de ontem (03) falou que a Polícia Federal já tem as fotos desses bandidos, e logo devem ser identificados e presos. Alguém do Consórcio também tem que ir junto, pois foi de lá que saiu a informação que causou o cancelamento do ENEM de ontem (3) e de hoje (4). Que a justiça seja feita de forma ampla e irrestrita. E que esse Consórcio – o CONNASEL – seja eliminado desses certames.



Fonte: O Globo/Clipping - Seleção Notícias



Keywords: Novo Enem



O que você achou dessa notícia?

Avalie aqui:

Média de avaliações

0 votos
Deixe seu comentário:
Deixe seu comentário pelo facebook
Deixe seu comentário

O comentario não pode ser vazio.


O nome não pode ser vazio.


O email não pode ser vazio.

O Estado não pode ser vazio.

A cidade não pode ser vazia.
Envie essa notícia para um amigo:
Envie essa notícia para um amigo


Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas

Informe o seu nome

Informe o seu endereço de e-mail

O comentario não pode ser vazio.
Comunicar erro na notícia:
Comunicar erro na notícia


Informe o seu nome

O email não pode ser vazio.

Descreva o que há de errado com esta notícia

0 comentários, 0 respostas